>>

Alexandre Corroyer

 

Alexandre Corroyer
 
 
 
Alexandre Corroyer - Bombeiro de 3ª
 
    O "Entre Nós" traz-nos o Alexandre Corroyer.
    Fique a conhecê-lo! 
 
 
    Nome: Alexandre Frédéric Figueira Corroyer    
    Idade: 22 anos
    Data de admissão no C.B.: 30/01/2010
    Categoria: Bombeiro de 3ª
    Cursos: Curso Técnicas de Socorrismo; TAS; DAE
 
    Como surgiu a oportunidade de ingressar nos B.V. Lisbonenses?
   Surgiu de uma maneira inesperada, estávamos no início do ano de2010, e os B.V. Lisbonenses iriam organizar um Torneio de Futsal, em Comemoração do 1o Centenário daquela Associação,  e não tinham Guarda-Redes. Então surgiu a oportunidade de eu poder representar aquela equipa jogando na mesma, tudo sem nenhum compromisso associado claro. Passou-se o torneio, e cada vez que ia ter com a “malta” da bola ao quartel, criava um pequeno bichinho, e curiosidade de saber o que era ir naquelas ambulâncias que saiam do quartel de alarmes ligados, naquele camião enorme adorado por todos a caminho de um incêndio. Então cheguei a casa num belo dia e disse aos meus Pais “Quero ser Bombeiro! Vou me inscrever nos Bombeiros Lisbonenses e fazer a Recruta” e assim foi o início de algo incrível, uma enorme Paixão!
 
    Descreva-nos o seu percurso.
   O meu Percurso, teve um inicio atribulado, pois eu até aos meus 19 anos era Cidadão Francês apesar de estar a viver cá como qualquer Português, o RNBP (Recenseamento Nacional dos Bombeiros Portugueses) e a Liga Portuguesa de Bombeiros, não me conseguiam inscrever no sistema, para poder estar associado aquele CB e começar a carreira de Bombeiro. Após quase 1 ano e meio de questões burocráticas, finalmente tornei-me Estagiário. Desde então foi aprender, conhecer o Mundo dos Bombeiros e as suas actividades enquanto aguardava pelo início da tão esperada Recruta, que iniciou um ano de pois a 10 de Janeiro de 2010. Desde então foi a loucura, cada vez mais apaixonado e embebido pelos Bombeiros, querer saber mais, apanhar mais experiências e diferentes, saber fazer um pouco de tudo. A 20 de Dezembro de 2012, sou Promovido a Bombeiro, um momento único, o qual nunca me esqueço.
   Fui premiado com o Prémio de Saúde - B.V. Lisbonenses 2012, pelo maior número de serviços de saúde feitos no ano de 2012, apesar de ter sido como estagiário. Nessa cerimónia, o meu Padrinho, o Bombeiro de 2a André Saraiva, que todos os dias ensina-me algo, estava a meu lado a receber o Prémio Fogo. Daí em diante, foi comer os serviços todos como não existisse amanhã, e premiado por esse esforço, fui seleccionado para ir tirar o Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro (TAS) na Escola Nacional de Bombeiros em 2013. No início de 2014, tive a oportunidade de fazer parte da Equipa de Profissionais daquele CB, onde aprendi muito, e evolui bastante, Tive o prazer de trabalhar com pessoas excepcionais, sem dúvida mais uma grande experiência. Após 5 meses por motivos de força maior, tive de abandonar o cargo e ficar como Voluntário apenas.
 
 
    Desde o seu ingresso, qual foi o seu maior desafio? 
   Todos os desafios que colocam a vida de pessoas e bens em risco são grandes, mas talvez o de ter tirado o Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro (TAS) tenha sido algo bastante desafiante que exigiu bastante de mim.
 
    Quais são os seus interesses e que hobbies pratica?
    Pratico Futsal, algo que também é uma Paixão e já praticava a nível federado antes de ingressar nos B.V. Lisbonenses.
 
    Como define os B.V. Lisbonenses?
    Um CB cheio de história, tradição, glória, com objectivos bem definidos e um futuro risonho bem próximo, possível através do contributo de todos nós.
 
    O que é ser Bombeiro?
   “É ser capaz de mudar o Mundo de alguém em segundos, e com isso obter a maior recompensa de todas, o sorriso sincero de felicidade e gratidão!”

Alerta

Alerta

Alerta - Canimbeiro

 

    O carinhoso Amigo e Colega Alerta, ingressou no CB Lisbonenses em Agosto de 2012, a desejo de muitos elmentos do CB. Desde então conta com 2 idas de "Férias" onde poucos dias depois foi encontrado. Já têm algumas histórias para contar, e já se tornou num dos cães mais conhecidos da Cidade de Lisboa.

 

Miguel Antunes

Miguel Antunes

Miguel Antunes - Bombeiro de 3ª

 

    Nome: Miguel Ângelo Antunes
    Idade: 29 anos
    Data de admissão no C.B.: Fevereiro de 2009
    Categoria: Bombeiro de 3ª classe
    Cursos: TAS; TAT; DAE; Desencarceramento.

    Como surgiu a oportunidade de ingressar nos B.V. Lisbonenses?
    Aos 18 anos já sentia interesse em vir para os Bombeiros mas, com o ingresso no serviço militar, a ideia foi sendo adiada. Quando saí da Armada, fui trabalhar com um colega já falecido - o Justino Santos – que me aliciou para motorista dos bombeiros. 

    Descreva-nos o seu percurso.
    O Sr. Comandante José Bento propôs-me fazer a Escola de Recrutas ao que eu anuí mas durante algum tempo fiz uma iniciação que decorreu no quartel para me familiarizar com a actividade. Posteriormente, já com o curso de bombeiro concluído, surgiu a oportunidade de ser empregado nos bombeiros. Nesta altura aprendi bastante sobre o quotidiano deste quartel, o que me fez ganhar uma paixão muito grande pelos Lisbonenses. Actualmente sou só voluntário.

    Desde o seu ingresso, qual foi o seu maior desafio? 
    O meu maior desafio foi conciliar a Escola de Recrutas com a minha actividade profissional que é camionista. Sem horários certos, era-me difícil ir a todas as aulas mas com muito esforço e dedicação consegui terminar com o apoio dos colegas e formadores.

    Quais são os seus interesses e que hobbies pratica?
    Sou um apaixonado por mecânica, restauro automóvel e agricultura. 

    Como define os B.V. Lisbonenses?
    Os Lisbonenses orgulham-se de honrar o seu passado e todos fazemos questão de perpetuar a memória, saberes e cultura dos nossos antecessores. Somos uma família com mais de 100 anos por onde passaram homem de enorme valor. Os Lisbonenses são diferentes de todos os outros. Não somos melhores nem piores; apenas diferentes.

    O que é ser Bombeiro?
    Ser bombeiro é ter consciência de que o mundo não se limita à nossa área de conforto. Por vezes há que sair dela, dar conforto aos outros quando mais precisam de ajuda. É zelar pela vida e bens de quem tudo perde. É despirmo-nos de todos os preconceitos e ajudar sem olhar a raças, credos, estratos sociais. É entregarmo-nos a troco de nada.

Carlos Machado

Carlos Machado

Carlos Machado - Bombeiro de 3ª

 

    Nome: Carlos Alves Machado
    Idade: 36 anos
    Data de admissão no C.B.: 1995
    Categoria: Bombeiro de 3ª classe
    Cursos: TAT, DAE, Formação FEB.

    O Carlos Machado tem toda uma vida ligada aos Bombeiros Lisbonenses. Ainda fez a Escola de Recutas à moda antiga, com um grau de exigência que não estava ao alcance de todos. Gosto particularmente do Machado, ou Bolicau – como é conhecido por todos - pelo seu carácter e humildade. Bom camarada, trabalhador e sempre disponível, são adjectivos que contrastam com o seu aspecto altruísta e semblante carregado. Hoje vamos falar sobre ele.

    Como surgiu a oportunidade de ingressar nos B.V. Lisbonenses?
    Eu era escuteiro no Grupo 7 da AEP, que à época funcionava perto do quartel dos Lisbonenses. A relação entre os Escuteiros e os Bombeiros assume laços Históricos e como tal, sempre nos vimos envolvidos em actividades conjuntas. O meu primeiro contacto com os Lisbonenses tem o seu marco no lançamento da primeira pedra do quartel em Sete-Rios e desde essa altura que os Bombeiros Voluntários Lisbonenses ficaram na minha cabeça.

    Descreva-nos o seu percurso.
    Ingressei nos Lisbonenses em 1995 e por cá andei até fazer a minha Escola de Recrutas em 1997. Sou bombeiro de 3ª classe desde então. Estive alguns anos emigrado no Reino Unido e daí ter feito um intervalo na minha actividade. Regressei recentemente e estou a adorar voltar a fazer aquilo de que sempre gostei.

    Desde o seu ingresso, qual foi o seu maior desafio? 
    Tenho alguns grandes desafios registados. Entre eles, a minha promoção para bombeiro de 3ª classe que ocorreu no mesmo dia do fogo na estação de Metro da Alameda. Recordo que foi um fim-de-semana muito intenso para todos nós; havia as cerimónias de promoção, as inundações por toda a cidade e no mesmo dia, deu-se o incêndio. É um dia que ficará na minha memória porque começámos a nossa carreira com um teste muito duro.

    Quais são os seus interesses e que hobbies pratica?
    Sou um curioso por informática. Interesso-me por Karaté e musculação.

    Como define os B.V. Lisbonenses?
    Os lisbonenses são uma casa com um património Histórico muito vasto. Sinto que temos que honrar esse passado e ser uma referência para os jovens que virão. Os Lisbonenses são uma enorme família à qual tenho o maior prazer em pertencer.

    O que é ser Bombeiro?
    Ser bombeiro é quase viciante. Depois de se entrar, sair é o mais difícil porque o “bichinho” fica cá sempre. Todos os bombeiros têm uma coisa em comum que é o gosto em ajudar o próximo, sentirmo-nos úteis numa sociedade onde cada vez mais as pessoas se centram em si.

Daniel Tapadas

Daniel Tapadas

Daniel Tapadas - Bombeiro de 2ª

 

    O “Entre Nós” traz até si o Daniel Tapadas. Dos entrevistados até ao momento, é o único que eu não conhecia pessoalmente, apesar das referências elogiosas que lhe eram prestadas. O Daniel mostrou-se desde o primeiro instante uma pessoa humilde, culta, conhecedora de Bombeiros, extremamente colaborante com o que lhe havia sido pedido e perfeitamente integrada neste CB.

   Nome: Daniel Mesquita Tapadas
   Idade: 33 anos
   Data de admissão no C.B.: Agosto de 2013
   Categoria: Bombeiro de 2ª Classe

   Cursos: TAS; Comunicações em Emergência; Nadador Salvador; Condutor de Embarcações de Socorro; Brigada Helitransportada; Helicordagem; Salvamento em Grande Ângulo; Condução Fora de Estrada; Desencarceramento.

   Como surgiu a oportunidade de ingressar nos B.V. Lisbonenses?
   A oportunidade surgiu através do convite feito por colegas de trabalho também bombeiros. O Carlos Ventura, o Miguel Leiria, o Fernando Cardoso e o Miguel Lourenço são os responsáveis por neste momento estar aqui.

   Descreva-nos o seu percurso.
   O meu percurso começa nos Bombeiros da Força Aérea Portuguesa, onde estive de 1999 a 2005. Em 2003, ainda durante o serviço militar ingressei nos Bombeiros Voluntários de Beja, onde permaneci até 2011. Em 2008 concorri à Força Especial de Bombeiros (FEB) onde estive até 2012. Em 2011 ano transferi-me para uma cidade da periferia de Lisboa e fui admitido nos Bombeiros locais. Como tive uma enorme dificuldade de adaptação a esse CB, em Agosto de 2013 aceitei o convite dos colegas e vim para os Lisbonenses onde fui muito bem recebido desde o primeiro instante.

   Desde o seu ingresso, qual foi o seu maior desafio? 
   Não elejo nenhum evento como o maior desafio. Este, talvez esteja para chegar.

   Quais são os seus interesses e que hobbies pratica?
   Sou praticante de desporto. Faço ginásio e atletismo não federado apesar de já ter sido atleta. Fui treinador de atletismo e actualmente sou actor amador, levando o teatro aos hospitais através do meu outro projecto “Dr. Dói-dói”.

   Como define os B.V. Lisbonenses?
   O que destaco nos Lisbonenses é o facto de oferecem um ambiente familiar. É também onde se consegue fazer mais tendo menos equipamento mas, graças ao empenhamento e profissionalismo, elevamos constantemente os padrões de qualidade.

    O que é ser Bombeiro?
    Sou bombeiro de consciência e não de coração. Ser bombeiro nunca esteve nos meus horizontes mas senti muito cedo que a vida é mais que vivermos só para nós. É, acima de todas as coisas, um acto de cidadania que desempenho com enorme satisfação. Aplico o meu tempo livre em prol dos outros; é desta forma que me sinto útil.

Área Reservada